indique share   share   share   share   share   share   share   share   share   share   share  

www.deolhonabolsa.com

"É sempre ousada a loucura dos grandes não vigiada."
(Hamlet, ato III, cena I)

Sebastião Buck Tocalino,
12 de maio de 2014

Quando o Sr. Demógrafus, sentado à mesa, começava a falar sobre negócios e problemas no trabalho, com empregados se aposentando e seus melhores clientes comprando menos, as atenções se dispersavam. Entretenimento certo ficava era por conta de vovó Becê. A generosa senhora distraía a todos com suas estórias. Eram contos de uma terra montanhosa, onde dois poderosos magos se revezavam zelando pelo brilho do sol. Um era responsável pelo nascente, o outro pelo poente. Juntos, Abe e Fed lançaram mão de toda sua magia para preencher o vale onde o reino se encontrava, elevando-o assim a um planalto encantado. Quando os mais céticos questionavam o que os esperava ao fim do planalto, os fiéis aos magos vociferavam que outra montanha mais alta se avistaria em breve. E para muitos aquela resposta parecia bastar. Entre os maravilhados com o impressionante poder dos magos e os distraídos, calados em crônica indiferença, uns poucos ainda teimavam em petulante incredulidade. Mas, e ao fim de mais outra montanha? Não haveria qualquer abismo? Os vales não seriam férteis e necessários? Ou haveria então só o céu como limite? Até quando o brilho do sol seria capaz de aquecer os aldeões na crescente altitude? Poucos se davam conta de que a vegetação à volta se tornava cada vez mais frágil, com menos raízes no solo árido. O ar rarefeito já parecia prejudicar a razão e o pensamento no reino de Dowjonesy...

montanhas

O cenário inicial de minha parábola poderia ser algo assim:

demografia x mercado
demografia e economia

Mas enquanto parecer mágica poderosa e crível essa criação de dinheiro pelo FED (truque representado pela linha verde abaixo), os vales continuarão cedendo seu lugar a planaltos cada vez mais altos...

impressão de dineiro x S&P500

"Nada conserva sempre o mesmo aspecto. Que até mesmo a bondade, em demasia, morre do próprio excesso."
(Hamlet, ato IV, cena VII)

cena

 

Copyright © Sebastião Buck Tocalino - Todos os direitos reservados.

www.deolhonabolsa.com

português confira outros textos   -   check out further readings English

indique share   share   share   share   share   share   share   share   share   share   share  

A bolsa estimula a cidadania!

Compartilhe este texto por email ou pelo LinkedIn, Twitter, Facebook, Google+ e outras redes.

ATENÇÃO: Quaisquer opiniões expressas pelo autor são naturalmente subjetivas e sujeitas a polêmica.
Esta não é uma recomendação de investimento! Os dados visualizados aqui procedem de outras fontes, a princípio fidedignas, de boa reputação e acessíveis ao mercado.
De Olho Na Bolsa não faz indicações de compra ou venda, ou de negócios de qualquer espécie, e não está autorizada a atuar como consultoria de valores mobiliários. Não nos responsabilizamos por decisões tomadas com base nas informações aqui reunidas.
INVESTIMENTOS EM AÇÕES ENVOLVEM RISCOS! Para sua maior segurança, procure sua corretora. Ela poderá ajudá-lo a avaliar riscos e oportunidades em negócios com valores mobiliários.